Adesivo não faz esportivo

Postado por -

Saudações!

Uma coisa que me incomoda muito são as categorias imaginárias que se criam para acomodar alguns carros. Às vezes, é o fabricante que inventa, outras vezes é o próprio mercado.

Comecemos pelo exemplo da Kia, vendendo seu Soul como “carro design”… O que diabos é um carro design?! Inventaram isso porque ele não se encaixa em categoria nenhuma… Alto demais pra ser um compacto, pouco espaço para ser uma minivan, falta altura do solo para ser um SUV. Aí criaram uma categoria nova, só pra ele…

Aí esses dias ouço um comercial da Chevrolet anunciando o Prisma como “sedã esportivo”… Prisma? Esportivo? BMW M5 é o quê então, GM? Sedã super-hiper-mega-blaster-master esportivo? Não, a BMW não faria isso. Não precisa.

Tempos atrás criaram a categoria dos “Compactos Premium”, que abrigava carros compactos com melhor acabamento do que os compactos tradicionais. E aí ficaram Fiat Punto, VW Polo e o então recém-lançado Chevrolet Corsa. Interessante notar que na Europa só existe “compacto”, até porque não tem nada de “premium” nos carros citados… Difícil andar num Punto com motor “um ponto fraco” e ver o tal “requinte” que a categoria dos Premium deveria ter. Agora passamos por situação semelhante com os sedãs… Antes tínhamos os sedãs compactos (Siena, Corsa, Fiesta, etc) e os sedãs médios (Civic, Corolla, Focus, Jetta, etc). Mas aí vieram os sedãs “quase do tamanho dos médios, mas mais simples”: Logan, Versa, Grand Siena… Aí algumas pessoas começaram a classificar esses como sedãs médios, e os médios de verdade como “carros de luxo”. Já ouvi essa pérola diversas vezes… Só aqui no Brasil que Corolla é carro de luxo… A grande propaganda do Civic em qualquer lugar do mundo bate na tecla da economia… Por aqui, a Honda prefere vender a imagem de status… O mesmo vale para o Focus, carro de auto-escola nos EUA, uma escolha apenas racional na Europa… Mas aqui, é status… Convenhamos, vendendo como “carro de luxo”, eles podem cobrar mais, o que puxa todos os preços para cima… Por isso pagamos 40 mil reais num Onix ou 100 mil num Golf… Bah, tem GOL de 50 mil reais hoje em dia… E nem é o GTI…

Falando em GTI, não esqueçamos dos esportivos de araque… Não é um logotipo novo que vai fazer o carro correr mais… Um carro qualquer, com meia dúzia de adesivos, uma rodinha ou uma costura nos bancos numa cor mais ousada e voilà, temos um esportivo! Não mexeram em suspensão, não mexeram no câmbio, não mexeram no MOTOR, que via de regra, costuma ser uma parte importante num esportivo de verdade. Aí temos os Renault Sandero (E Fluence) GT Line, os Honda City Sport, e o falecido Corolla XRS… A Fiat até mexeu no câmbio do Uno Sporting, mas manteve o sofrível Fire 1.4 sob o capô, um motor conhecido pela vibração excessiva a médias e altas rotações, distante do que se esperaria de um verdadeiro esportivo.

Recapitulando: Carro médio não é carro de luxo, adesivo não faz um esportivo, e os Hyundai não são os melhores carros do mundo, embora seus comerciais (brasileiros) teimem em afirmar isso.

Dax Consultoria Automotiva