Conheça o motor Renault RS27 e os carros que ele equipará na temporada 2012 da Fórmula 1

Postado por -

O motor Renault RS27 é utilizado na Fórmula 1 desde a temporada de 2007. Este propulsor é um V8, atmosférico, capaz de desenvolver uma potência máxima de aproximadamente 750 cavalos.

O RS27 foi reconhecido como um dos mais confiáveis motores do grid de 2011, sendo capaz de percorrer mais de 3.000 km, com uma perda mínima de potência entre o início e o final de sua vida útil.

Especificações do motor
· Denominação: RS27-2012
· Configuração: 2.4 litros V8
· Número de cilindros: 8
· Número de válvulas: 32
· Cilindrada: 2.400 cc
· Peso: 95 kg
· Ângulo do V: 90°
· Rotação máxima: 18.000 rpm
· Combustível: TOTAL
· Óleo: TOTAL
· Potência: >750 cavalos
· Velas: descarga semi-superficial
· Ignição: indutiva de alta energia
· Pistões: liga de alumínio
· Bloco do motor: liga de alumínio
· Virabrequim: liga de aço nitrado com contrapeso em liga de tungstênio
· Bielas: liga de titânio

Regulamento de motores para 2012
► Configurado a 90°, limitado a 18.000 rpm e 96 kg, o motor V8 atmosférico foi implementado desde o início da temporada de 2007 com uma especificação fixa. Entretanto, são permitidas modificações a fim de melhorar sua integração com o chassi, resolver problemas de confiabilidade ou ainda por razões “justas e imparciais”.
► O KERS (Kinetic Energy Recovery System – Sistema de Recuperação de Energia Cinética) está autorizado, mas não é obrigatório. Uma unidade do KERS, completamente carregada, pode fornecer 400 kJ de energia, proporcionando uma potência máxima equivalente a 60 kW, o que permite um ganho de potência de aproximadamente 80 cavalos durante seis a sete segundos por volta.
► Cada piloto terá direito a oito motores ao longo desta temporada, e isso mesmo com o novo calendário de 20 provas, ou seja, uma a menos que em 2011.
► O torque do motor só pode ser gerado pelo uso normal do acelerador pelo piloto e não por um mapeamento do motor ou pontos específicos pré-programados no curso do pedal do acelerador.
► Esta “programação do pedal do acelerador” só pode ser utilizada para afinar o equilíbrio do tipo de pneus instalado no carro, o que significa que as únicas mudanças autorizadas serão definidas pelos parâmetros “seco” ou “molhado”.
► Para que o motor seja utilizado da forma mais eficaz possível, neste ano, a aspiração adicional está proibida.
► O controle do motor não deve ser influenciado pela posição da embreagem, ou de um movimento ou da colocação em funcionamento.
► O regime de controle da marcha lenta não pode ultrapassar 5.000 rpm.
► A ignição, a alimentação e o acelerador não podem ser utilizados para controlar artificialmente a velocidade do motor ou modificar sua reatividade em uma faixa de rotação superior a 1.000 rpm abaixo da rotação máxima.
► Os sistemas de escapamento não podem comportar mais de duas saídas, compostas cada uma de um tubo de escape voltado para a traseira, através do qual todos os gases de escapamento devem passar.
► O motor deve ser utilizado em modo de 8 ou 4 cilindros. Nenhuma outra utilização está autorizada.

Sobre os parceiros da Renault para a temporada 2012 da Fórmula 1
Red Bull Racing
Chassi: RB8
Pilotos: Sebastian Vettel e Mark Webber
A parceria Red Bull Racing-Renault foi iniciada em 2007 e já se tornou uma das parcerias de motor e chassi mais bem-sucedidas da história do campeonato, contando até hoje com 27 vitórias, 38 pole positions e o bicampeonato dos Mundiais de Pilotos e Construtores, nos anos de 2010 e 2011. Durante o Grande Prêmio da Itália de 2011, a Red Bull Racing e a Renault Sport F1 anunciaram a renovação de sua parceria por cinco anos. As duas equipes trabalharão juntas, pelo menos, até o final da temporada de 2016, com a criação de uma joint venture técnica destinada a trabalhar em conjunto, visando as novas regras de motores que deverão ser adotadas a partir de 2014.

Equipe Lotus de F1
Chassi: E20
Pilotos: Kimi Raikkonen e Romain Grosjean
A Renault vem realizando um trabalho conjunto e de longa duração com a equipe de Enstone. Este relacionamento começou em 1995, quando a Renault forneceu motores para a equipe Benetton, pilotada na época por Michael Schumacher. Desde o primeiro ano da parceria, Schumacher levou o título de Pilotos e a equipe levou o de Construtores. Após sua saída como fornecedora oficial de motores, ao final de 1997, a Renault voltou a contar com uma equipe própria, ao assumir o controle da Benetton, em 2002, e criando a Renault F1 Team. A fábrica situada em Enstone se tornou a base operacional no Reino Unido para chassis, enquanto que a unidade fabril de Viry-Châtillon, na França, se manteve como artéria principal das atividades de motor. Sob a coordenação da Renault, a equipe voltou com força total com Fernando Alonso, que conquistou os títulos mundiais de 2005 e 2006. A decisão de focar suas atividades na F1 no fornecimento de motores levou a Renault a vender uma participação minoritária para a Genii Capital, em 2009, antes de ceder o resto de suas participações, ao final de 2010, ao grupo Genni Capital, sediado em Luxemburgo.

Equipe Williams de F1
Chassi: FW34
Pilotos: Pastor Maldonado e Bruno Senna
O ano de 2012 marca o retorno da histórica parceria Williams-Renault no grid. As duas começaram o seu relacionamento em 1989, com um sucesso imediato. Logo de início, Nigel Mansell garantiu os dois títulos da parceria, dominando a temporada de 1992, que Alain Prost manteve com o título de 1993. Damon Hill e Jacques Villeneuve conquistaram, respectivamente, os títulos de Pilotos, em 1996 e 1997, enquanto que os campeonatos de construtores foram conquistados em 1994, 1996 e 1997, antes da saída da Renault da F1. Durante os nove anos de existência, a parceria Williams-Renault conquistou 63 vitórias, quatro títulos de Pilotos e cinco de Construtores.

Equipe Caterham de F1
Chassi: CT01
Pilotos: Heikki Kovalainen e Jarno Trulli
A equipe anglo-malaia começou sua segunda temporada na F1 em 2011, equipada com o motor Renault RS27. Durante todo o ano, a parceria foi reforçada e a equipe evoluiu bastante em termos de performance. A partir deste ano, quando os carros da equipe estarão equipados com o KERS – desenvolvido em conjunto pela Red Bull-Renault -, esta parceria dará ainda mais frutos para as duas empresas.

Fonte: Renault Press

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.