Lussiana bate Pierluigi no Moto 1000 GP com ultrapassagem a duas curvas do fim

Postado por -

Piloto francês da BMW amplia vantagem na liderança do Brasileiro de Motovelocidade com vitória no GP Campo Grande

Quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade de 2015, o GP Campo Grande apresentou ao público do Moto 1000 GP mais uma disputa histórica pela vitória. A liderança da corrida deste domingo (26) no Autódromo Internacional de Campo Grande foi definida a duas curvas da bandeirada final. A vitória, pela terceira vez no ano, foi conquistada pelo atual campeão Matthieu Lussiana, piloto francês da BMW Motorrad Petronas Racing.

Bandeirada final do GP Campo Grande, com Matthieu Lussiana e Diego Pierluigi separados por 0s037. Foto - William Inácio/Grelak Comunicação

Bandeirada final do GP Campo Grande, com Matthieu Lussiana e Diego Pierluigi separados por 0s037. Foto – William Inácio/Grelak Comunicação

Lussiana, que somou também os pontos de bonificação pela autoria da volta mais rápida da corrida e pela conquista da pole position, cruzou a linha de chegada, depois de 16 voltas de disputa, com vantagem de 37 milésimos de segundo sobre o argentino Diego Pierluigi, piloto da Kawasaki da JC Racing Team. A terceira posição coube ao também argentino Luciano Ribodino, que voltou ao Moto 1000 GP defendendo a mesma equipe de Lussiana.

Matthieu Lussiana comemorando sua terceira vitória na temporada, oitava em sua carreira no Moto 1000 GP. Foto - William Inácio/Grelak Comunicação.

Matthieu Lussiana comemorando sua terceira vitória na temporada, oitava em sua carreira no Moto 1000 GP. Foto – William Inácio/Grelak Comunicação.

Já cumpridas quatro das oito etapas da quinta temporada do Moto 1000 GP, Lussiana tem 28 pontos de vantagem sobre o vice-líder Pierluigi na tabela do campeonato. O terceiro na pontuação é o português Miguel Praia, que teve de cumprir uma corrida de recuperação em Campo Grande depois de cair de segundo para sétimo na largada e levou a Honda da Center Moto Racing Team ao quarto lugar no resultado final da etapa.

Lussiana teve desempenho eficiente na largada e manteve-se à frente. Seu companheiro de equipe Luciano Ribodino ultrapassou Miguel Praia e já era segundo colocado na primeira curva da corrida. Sua pretensão de pressionar o líder francês, contudo, esbarrou no bom início de corrida de Wesley Gutierrez, que largou em sexto e completou a primeira volta em segundo. Diego Pierluigi superou Ribodino na segunda volta.

O bicampeão Luciano Ribodino, em sua volta ao Moto 1000 GP, conquistou o terceiro lugar na corrida. Foto - Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação.

O bicampeão Luciano Ribodino, em sua volta ao Moto 1000 GP, conquistou o terceiro lugar na corrida. Foto – Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação.

Gutierrez, na primeira fase da prova, tinha um ritmo ligeiramente mais forte que o de Lussiana. Descontando um décimo de segundo por volta, esteve a 1s310 da liderança. O francês reagiu na quinta volta e ampliou sua margem a 1s759, passando a 1s943 na sexta. A essa altura, a principal preocupação de Gutierrez era a pressão que ele recebia de Pierluigi. Preocupação pertinente: o argentino ultrapassou o brasileiro na nona volta.

Wesley Gutierrez chegou a figurar em segundo, terminou em quinto e foi o piloto brasileiro melhor colocado no GP Campo Grande. Foto - William Inácio/Grelak Comunicação.

Wesley Gutierrez chegou a figurar em segundo, terminou em quinto e foi o piloto brasileiro melhor colocado no GP Campo Grande. Foto – William Inácio/Grelak Comunicação.

Enfrentando problemas de equilíbrio com a moto número 47, Gutierrez acabou saindo da pista ao fim da reta dos boxes na abertura da 11ª volta. Seu infortúnio devolveu Ribodino à terceira posição e permitiu a Praia assumiu o quarto lugar. Lussiana perdeu tempo na negociação com o tráfego e, com isso, Pierluigi aproximou-se para disputar diretamente a liderança – no complemento da 12ª volta, a diferença entre os dois era de 0s588.

Lussiana enfrentava dificuldades com seu equipamento. Teve reações adversas da moto em duas curvas consecutivas na 13ª volta. Pierluigi assumiu a liderança e fechou a volta 13 com vantagem de 0s368, diferença que evoluiu a 0s562 na volta 14 e a 0s290 na 15. Os dois abriram a última volta juntos. Lussiana conseguiu a ultrapassagem sobre Pierluigi retardando uma frenagem a duas curvas do fim da corrida. Venceu com margem de 0s037.

Na classe GP 1000 Evo, destinada aos pilotos que têm suas carreiras em fase de ascensão, Diego Pretel colocou a Ducati da DRT na liderança logo após a largada, para mantê-la até o fim. O pole Nick Iatauro, do Team Suzuki-PRT, caiu para terceiro no início, recuperou uma posição na segunda volta e a diferença entre os dois passou a oscilar em cerca de dois segundos, com o desempenho alternado dos dois pilotos ao longo das 16 voltas.

Diego Pretel, com a Ducati, chegou à segunda vitória na temporada da categoria GP 1000 Evo. Foto - Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação.

Diego Pretel, com a Ducati, chegou à segunda vitória na temporada da categoria GP 1000 Evo. Foto – Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação.

Pretel chegou à segunda vitória no ano – ele havia vencido na abertura da temporada, em Curitiba. O resultado o fez chegar a 70 pontos, agora a nove do líder Iatauro, vencedor das etapas de Cascavel e Goiânia. O paranaense Victor Moura terminou em terceiro com a BMW da M2B Racing e mantém essa mesma colocação no campeonato, com 56 pontos. A quinta etapa, no dia 30 de agosto, será disputada no Autódromo Internacional de Curitiba.

Diego Pierluigi, Matthieu Lussiana e Luciano Ribodino comemorando as três primeiras posições no GP Campo Grande. Foto - William Inácio/Grelak Comunicação.

Diego Pierluigi, Matthieu Lussiana e Luciano Ribodino comemorando as três primeiras posições no GP Campo Grande. Foto – William Inácio/Grelak Comunicação.

MOTO 1000 GP – GP CAMPO GRANDE – GP 1000
(Resultado da quarta etapa do Brasileiro após 16 voltas)
1º) Matthieu Lussiana (FRA/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, 23min10s806
2º) Diego Pierluigi (ARG/Kawasaki), JC Racing Team, a 0s037
3º) Luciano Ribodino (ARG/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, a 2s686
4º) Miguel Praia (POR/Honda), Center Moto Racing Team, a 5s254
5º) Wesley Gutierrez (PR/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 14s097
6º) Sebastiano Zerbo (ITA/Kawasaki), Target Race Superbike Team, a 42s109
7º) Philippe Thiriet (MG/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 52s429
8º) Diego Pretel (SP/Ducati), classe Evo, DRT, a 55s731
9º) Nick Iatauro (SP/Suzuki), classe Evo, Team Suzuki-PRT, a 58s963
10º) Victor Moura (PR/BMW), classe Evo, M2B Racing, a 1 volta
11º) Marcos Salles (PR/Honda), classe Evo, MS Racing Team, a 1 volta
Melhor volta: Lussiana, na 5ª, 1min26s056, média de 146,960 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Após quatro etapas, a classificação do Brasileiro de Motovelocidade na categoria GP Light é: 1º) Matthieu Lussiana, 101 pontos; 2º) Diego Pierluigi, 73; 3º) Miguel Praia, 60; 4º) Wesley Gutierrez, 51; 5º) Sebastiano Zerbo, 37; 6º) Danilo Lewis, 32; 7º) Sebastian Porto, 29; 8º) Nick Iatauro, 23; 9º) Diego Pretel e Philippe Thiriet, 22; 11º) Marco Solorza, 19; 12º) Luciano Ribodino e Martín Solorza, 16; 14º) Victor Moura, 15; 15º) Marcos Salles, 10.

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o óleo lubrificante Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece pneus a todas as equipes participantes. O Moto 1000 GP também conta, em sua quinta temporada de história, com apoio de Beta Ferramentas, Puig, MSR Macacões Personalizados, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

DEMAIS CATEGORIAS
Na categoria GP Light, a vitória no GP Campo Grande coube a Marcelo Dahmer, que largou da pole position e liderou de ponta a ponta. O pódio teve pilotos de três marcas de motocicletas. Além de Dahmer, que pilota a Honda da K Racing, a premiação acolheu o paranaense Rafael Nunes, do Team Suzuki-PRT, e o brasiliense Henrique Castro, inscrito com a Kawasaki da City Service BSB Motor Racing, que foram segundo e terceiro.
(Confira press release, resultado, pontuação e fotos da categoria GP Light, conteúdo disponível para livre divulgação, no linkgoo.gl/hMcjJ1)

A GP 600 manteve o domínio de Eric Granado na temporada de 2015. O piloto paulista da GST Honda Mobil Super Moto largou da pole e venceu pela quarta vez, tornando-se o terceiro maior vencedor da história da categoria. Em segundo terminou o paranaense Joelsu Mitiko, com a Kawasaki da Paulinho Superbikes. O terceiro colocado foi o brasiliense Ian Testa, com a Kawasaki da equipe Motonil Motors-PDV Brasil
(Confira press release, resultado, pontuação e fotos da categoria GP Light, conteúdo disponível para livre divulgação, no linkgoo.gl/2cGwAa)

A Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros comemorou no GP Campo Grande a primeira dobradinha de 2015 da categoria de formação de pilotos GPR 250. A vitória coube ao goiano Brian David, neste ano representando Mato Grosso do Sul. O cearense José Duarte, seu companheiro de equipe, foi o segundo. Em terceiro ficou o paulista Ton Kawakami, da Playstation-PRT, que se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.