Pilotos do Moto 1000 GP estabelecem novos recordes de velocidade em Goiânia

Postado por -

Matthieu Lussiana cronometra na volta final do GP Michelin volta mais rápida da história do circuito que já recebeu etapas do Mundial

As corridas do GP Michelin, que levaram mais de 14.000 torcedores no domingo (28) ao Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia, tiveram o estabelecimento de novos recordes de velocidade entre os eventos estatísticos mais notáveis da terceira etapa do Moto 1000 GP. Duas das quatro categorias que integram o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tiveram quebra das marcas mais expressivas da história do circuito.

O recorde absoluto das corridas de motos para o circuito goiano – que já recebeu inclusive etapas do Campeonato Mundial – havia sido estabelecido na etapa de 2014 do Moto 1000 GP por Diego Pierluigi, que cravou a melhor volta da corrida em 1min24s183. O próprio argentino da JC Racing Team superou a marca no GP Michelin, ao cronometrar 1min24s161 na segunda volta da prova. Contudo, não saiu de Goiânia como recordista.

Pierluigi assumiu a liderança da corrida momentos antes da abertura da última volta da etapa, superando o francês Matthieu Lussiana. Atual campeão, o francês da BMW Motorrad Petronas Racing imprimiu um ritmo forte na volta decisiva e estabeleceu o novo recorde em 1min23s968, com média de 164,419 km/h. Foi mais rápido até que na volta em que quebrou o recorde em treinos, conquistando a pole position do GP Michelin em 1min24s042.

A categoria GP 600 também teve quebra de recorde na etapa goiana. O paulista Eric Granado, da GSX Honda Mobil Super Moto, cronometrou a melhor volta da corrida em 1min27s739, superando em mais de um segundo o recorde assinalado em 2014 pelo argentino Juan Solorza, em 1min28s807. Granado fez a pole em Goiânia em 1min27s089, batendo o recorde de treinos anotado pelo uruguaio Maximiliano Gerardo, com 1min28s210 no ano passado.

Pierluigi, no GP Michelin, conquistou sua primeira vitória na temporada e manteve a escrita de vencer em todas as edições do campeonato – teve pelo menos um triunfo por ano desde 2011, ano de implantação do Moto 1000 GP. Granado, na GP 600, venceu pela terceira vez no ano. Na categoria GP Light a vitória foi do paranaense Rafa Nunes, piloto do Team Suzuki-PRT. A GPR 250 teve a segunda vitória do paulista Ton Kawakami, da Playstation-PRT.

A próxima etapa, no dia 26 de julho, será disputada em Campo Grande. As motocicletas do Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o lubrificante Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece pneus a todas as equipes. O Moto 1000 GP também conta com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.