Nova McLaren 675 LT

Postado por -

O sucesso no automobilismo pode ser cruel e fugaz, como é o ritmo da inovação. Mesmo as equipes líderes devem evoluir para sobreviver, razão pela qual, em 1997, apenas dois anos depois de vencer as 24 Horas de Le Mans, a McLaren produziu um carro de corrida, o F1 GTR radicalmente diferente, o lendário ‘Longtail’.

O McLaren F1 GTR ‘Longtail “era famoso, e fáceis de ser identificado por sua traseira extremamente alongada. Mas isso estava longe de toda a história.Uma série de mudanças mecânicas e aerodinâmicas resultou no GTR F1 que era mais leve, mais forte e mais focado do que até mesmo o lendário 1995 vencedor de Le Mans. É neste espírito que é canalizado com o novo 675LT, sendo um super carro que é super competitivo na pista e super dinâmico nas ruas.

Circundando o 675LT acorado no pit lane no circuito de Silverstone, pista de corrida inglesa, as mudanças feitas nos McLaren 650S, que serve como base, são sutis, quando medido em milímetros, mas muito eficaz no desempenho esportivo. Na frente, o 675LT fica 20 milímetros mais baixo para a pista e há novos “winglets” em ambos os lados de um nariz significativamente mais agressivo e divisor de ar direto para os radiadores traseiros. Mais largo tanto na dianteira como na traseira, em 20mm, e toda a lataria traseira é exclusiva para o 675LT, com saídas de escape circulares duplas e difusor traseiro alargada.

Mas é somente quando você olha profundamente na composição técnica do 675LT que você aprecia o quanto este carro mudou. Essas rodas não são apenas bonitas, elas são na verdade, o design mais leve já oferecido pela McLaren, e até mesmo mais leve do que os equipados da McLaren P1 ™. As mudanças aerodinâmicas não são simples ajustes de design, mas ajudam a melhorar a “downforce” por um maciço de 40 por cento. Metade dos componentes que compõem o motor 3,8-litros V8 twin turbo são novos, e os engenheiros do Centro de Tecnologia da McLaren em Woking, Inglaterra, conseguiram cortar 100 kg do peso.

A remoção de qualquer peso a partir do que já foi um carro “featherlight” era uma tarefa difícil, e exigiu a análise cada componente. Como resultado, o novo colector de escape do cruzamento e os parafusos da roda são feitos de titânio, enquanto a tampa do motor em policarbonato economiza 1,7 kg sobre o equivalente de vidro. Novos painéis de carroçaria, incluindo cada um à popa do pilar B, é construído em fibra de carbono, como é o freio aerodinâmico “Longtail”, que agora é mais leve, apesar de ser 50 por cento maior. Mesmo a cablagem diminuiu 1,2 kg.

McLaren 675LT em Silverstone.

McLaren 675LT em Silverstone.

O McLaren 675LT é muito diferente dos modelos anteriores Super Series, dando crédito à alegação dos engenheiros que um terço das peças são novas. A direção tem uma relação mais rápida e uma sensação mais positiva, mesmo a velocidades mais baixas.

“Melhorar o prazer de condução era uma prioridade”, Diretor Executivo de Desenvolvimento de Produto da McLaren, Mark Vinnels explica mais tarde. “Não apenas quando se conduz na pista ao extremo, mas em todas as situações o desempenho do carro deve acompanhar, mesmo dentro da cidade.”

Ao pisar no pedal direito até o fim  do 675LT  você sente todo o desenho dos assentos de corrida de fibra de carbono com uma marca de sua coluna vertebral. O 675LT vem com câmbio de sete velocidades de transmissão de dupla embreagem SSG. De 0 à 100km / h bastam 2,9 segundos, um décimo mais rápido que os 650S. Esticando um pouco mais a arranca chega a 200 km/h em 7,9 segundo.

Sendo 100 kg mais leve o novo motor M383TL do 675LT vem com uma melhor relação peso-potência que qualquer carro na classe. Baseado no motor twin turbo de 3.8 litros que alimenta os 650S, mas com 50 por cento de novos componentes, o V8 produz 666 hp, enquanto subidas de torque a 700nm (£ 516 pés). Mas além de simplesmente os números, todo o caráter do motor mudou, com melhores respostas ao simples toque no acelerados.

McLaren 675LT em Silverstone.

McLaren 675LT em Silverstone.

O chassi foi melhorado mais ainda e faz uma ótima combinação com os pneus Pirelli P-Zero Trofeo R e geometria de suspensão inspirado pelo McLaren P1 ™, fornece grande aderência mecânica e ainda melhor controle do corpo.

É o tipo de tecnologia que é ao mesmo tempo divertido e útil, não importa o seu nível de capacidade de condução, assim como o 675LT é um carro que é tão acessível para condutores inexperientes como é gratificante para especialistas. Apenas 500 proprietários vão experimentar isso porque a McLaren 675LT toma emprestado mais uma característica do original McLaren F1 GTR ‘Longtail’: exclusividade.

McLaren 675LT em Silverstone.

McLaren 675LT em Silverstone.

A caça por curiosidades automotivas é o trabalho desta colunista, conhecida por todos como Vavá .