Presidente Mundial do Grupo Renault, Carlos Ghosn, anuncia novos investimentos no Brasil

Postado por -

No momento em que a Renault comemora 15 anos no Brasil, o presidente mundial do Grupo Renault, Carlos Ghosn, anuncia um novo investimento de R$ 500 milhões, além do R$ 1 bilhão do atual ciclo de investimentos, totalizando um montante de R$ 1,5 bilhão para o período 2010-2015. Com o novo investimento, a marca prevê a produção de mais 100 mil veículos por ano. Na prática, significa dizer que este aumento equivale a uma nova fábrica. Com isso, a capacidade produtiva atingirá um volume de 383 mil carros anualmente.

Além disso, o aporte prevê a criação de um novo centro de engenharia, um centro de treinamento e mais uma área para a logística. Para todas essas operações, 1.000 novas vagas serão criadas, além das 1.000 contratações que estão sendo realizadas neste ano, totalizando mais 2.000 novos postos de trabalho ao longo deste ciclo de investimentos. “A Renault do Brasil está entre as prioridades na estratégia de crescimento mundial da marca, devendo se tornar o segundo maior mercado do Grupo Renault até 2013”, afirma Carlos Ghosn.

O novo centro de engenharia irá reforçar a capacidade de desenvolvimento no Brasil que hoje já conta com mais de 600 engenheiros que fazem parte do Renault Tecnologia Américas (RTA). Instalado em 2007, o RTA tem o objetivo de desenvolver produtos voltados às necessidades e ao perfil do consumidor latino-americano. “Em um mercado altamente competitivo como é o brasileiro, a Renault está comprometida com a oferta de veículos que correspondam às legítimas expectativas de nossos clientes e trabalha firme para consolidar-se cada vez mais como uma marca próxima e confiável”, afirma Jean-Michel Jalinier, Presidente da Renault do Brasil.

A presença da Renault e o crescimento da marca são bem percebidos no aumento do quadro de funcionários. De 2005 para cá, a Renault registrou um crescimento de 118% na geração de empregos em suas instalações, uma média de 14,5% ao ano. Em 2011, a Renault deu início ao terceiro turno, emprega atualmente mais de 6.000 colaboradores diretos e gera cerca de 25.000 indiretos. Até 2015, a previsão é de atingir 7.000 colaboradores. Neste ano, a Renault do Brasil passa a fazer parte do seleto grupo das “150 Melhores Empresas para Trabalhar”, conforme pesquisa realizada pela revista Exame.

15 anos de Renault no Brasil
Em março de 1996, a Renault escolheu o Paraná para instalar sua filial brasileira e vem investindo no desenvolvimento da região. A Renault foi a primeira “newcomer” a confiar no potencial do mercado brasileiro. Hoje, a Renault é a segunda maior empresa em faturamento do estado e é a maior exportadora do Paraná, contabilizando, em 2010, mais de 1,1 bilhão de dólares com a exportação de veículos e motores.

A Renault está localizada em São José dos Pinhais (PR), onde fica o Complexo Ayrton Senna, que reúne as três fábricas da marca no Brasil – veículos de passeio, veículos utilitários e motores. Vale ressaltar que a Renault dispõe, ainda, do Renault Design America Latina (RDAL), responsável, por exemplo, pelo design do Novo Sandero. O RDAL foi o primeiro estúdio de design da marca no continente americano, que colocou o Brasil no seleto grupo de países escolhidos pela Renault para a abrigarem seus centros de criação nesta área.

O crescimento da marca também trouxe impacto na cadeia fornecedora de autopeças da região. Para atender a Renault, 22 fornecedores também se instalaram na região metropolitana de Curitiba no momento da implantação de seu complexo industrial. Hoje são 55 fornecedores, a maioria com atuação mundial, presentes no estado. Além das autopeças, outros setores são beneficiados com a presença da Renault no estado, como logística, alimentação, serviços e energia.

Além disso, um forte trabalho em Responsabilidade Social é realizado na região. O Instituto Renault, lançado em 2010, que atua em quatro eixos de trabalho: educar (com o objetivo de fortalecer a educação infantil, fundamental e universitária, além de possibilitar a formação profissional para jovens); proteger (estímulo às práticas de direção segura e ações educativas no trânsito); preservar (melhoria da qualidade ambiental, gerenciamento de resíduos fabris e redução de impactos ambientais) e transformar (desenvolvimento pessoal, profissional, social e geração de renda para as comunidades locais). No ano passado, o Instituto Renault investiu R$ 3 milhões em projetos nessas áreas.

Um exemplo disso, é o intenso trabalho realizado na comunidade do bairro Borda do Campo, em São José dos Pinhais. Anualmente, cerca de 80.000 pessoas são beneficiadas pelos projetos realizados em parceria com a Associação Borda Viva, que atende crianças, jovens e mulheres da região.

Na área da educação, a Renault mantem importantes parcerias com SENAI e FAMEC (Faculdade Metropolitana de Curitiba), possibilitando uma oportunidade de aprendizado e trabalho com os estudantes dessas instituições.

O meio-ambiente é outro eixo estratégico para a Renault do Brasil e que já trouxe ganhos visíveis para o estado. Por exemplo, a marca recebeu, recentemente, o Prêmio AEA 2011 de Responsabilidade Ambiental, pela criação de um sistema de destilador de solventes que, entre outros resultados, reduz o consumo de material virgem (solvente de limpeza) e diminuindo a emissão de CO2. Vale lembrar que as fábricas da Renault são certificadas com a ISO 14.000 desde 2003. O Complexo Ayrton Senna está localizado em um espaço de 2,5 milhões de m2, sendo que 60% dessa área são de mata preservada, onde habitam mais de 110 espécies de aves e 28 mamíferos.

Os resultados conquistados pela marca nos últimos anos tornaram a filial brasileira “benchmark” no Grupo Renault no quesito consumo de energia. Não é para menos. De 2007 a 2010, os níveis de consumo de energia nas fábricas de veículos de passeio e de utilitários da filial brasileira reduziram em média 42 %. Somente em 2010, mais de 40 mil toneladas de resíduos foram recicladas. Neste ano, esse volume deve chegar a 50 mil toneladas.

Hoje, a característica inovadora do grupo Renault se faz presente na produção do carro elétrico em escala comercial, uma posição de vanguarda em propostas alternativas limpas para a mobilidade mundial. Maior exemplo é o selo “Renault Eco2”, desenvolvido para garantir a produção, em todo o mundo, de veículos ecologicamente e economicamente responsáveis. O modelo Renault Sandero, produzido no Paraná, já possui essa assinatura ecológica desde 2009.

Investimentos em 2011: Renault não pára de crescer

Neste ano, as fábricas do Complexo Ayrton Senna implementam novas tecnologias, entre elas, o início de uma área de estamparia ampliada, com a implementação de uma nova linha de cortes, que comemora 10 anos de atividades neste ano.

Nos últimos meses, evoluções vêm acontecendo na linha de produção. Já está em operação um novo dispositivo de montagem e balanceamento automático de rodas, além de um novo aparelho de paralelismo, alinhamento de faróis e validação eletro-eletrônica. Todas essas inovações deverão trazer mais qualidade e capacidade de produção.

Também já está em atividade a nova linha de montagem da carroceria do Duster, primeiro SUV (Sport Utility Vehicle) da Renault. A área de engenharia de motores passou a contar com um novo banco dinamométrico, que contribuirá para a evolução de motores com baixas emissões de poluentes.

Sucessivos recordes de vendas
Até setembro deste ano, a Renault do Brasil registrou crescimento quase três vezes maior que a média do mercado. Isso significa que, no acumulado do ano, enquanto a Renault cresceu 20% em relação ao mesmo período de 2010, o mercado registrou aumento de 7%.

Visando ampliar a cobertura da marca no País, a rede comercial continua em expansão. Mais de 30 novas concessionárias estão sendo inauguradas em 2011, que irão totalizar mais de 200 em todo o Brasil até o final do ano.

O sucesso comercial deste ano vem impulsionado pelos recentes lançamentos da marca no Brasil, como o Fluence e o Novo Sandero. O sedã Fluence causou excelente impacto no mercado e nas melhores publicações especializadas do País: considerado o“Melhor Carro do Brasil” pelo conceituado Jornal do Carro; a “Melhor Compra 2011” pela revista Quatro Rodas e, ainda, o vencedor do guia “Qual Comprar 2011”, da revista AutoEsporte.

Já o Sandero, totalmente desenvolvido no Brasil, ganhou novo design e uma versão com câmbio automático, consolidando-se como 10 carros mais vendidos do País. O Logan, que também caiu no gosto do consumidor brasileiro, também ganhou versão automática.

INFORMAÇÕES SOBRE A RENAULT DO BRASIL

Produção
Fábrica de Veículos de Passeio: mais de 1milhão de carros produzidos desde 1998
Fábrica de Veículos Utilitários: mais de 171 mil produzidos desde 2001
Fábrica de Motores: mais de 2 milhões produzidos desde 2000

Capacidade produtiva
Fábrica de Veículos de Passeio: 224 mil unidades/ ano
Fábrica de Veículos Utilitários: 59 mil unidades/ano
Fábrica de Motores: 380 mil unidades/ano

Vendas
Mais de 1 milhão de veículos emplacados até 2011

Mão de obra
Conta com mais de 6.000 colaboradores diretos.
Gera cerca de 25.000 empregos indiretos na região.

Fonte: Renault Press

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.