Tapetes interferem em pedais do carro, aponta estudo

Postado por -

Um dos acessórios que o brasileiro exige para o seu carro novo é um jogo de tapetes. O problema é que uma boa parte deles oferece risco à dirigibilidade do veículo -podem travar o acelerador, por exemplo-, conclui estudo da Proteste (associação de defesa do consumidor).

 Editoria de arte/Folhapress 
""

Ao todo, 31 tapetes para carros compactos passaram por avaliações de materiais, de fixação e da forma como podem interferir nos pedais.

Só o modelo genuíno do Citroën C3, o feito de tecido sintético e fixado ao assoalho por presilhas, recebeu nota máxima nesses três itens.

Tapetes de borracha sem antiderrapante foram mal avaliados -custam cerca de R$ 30 no mercado e são ofertados como peça de reposição ou até como brinde na compra de sedãs sofisticados.

Mas a surpresa foi a reprovação dos tapetes originais do Gol e do Uno -coincidentemente os dois carros mais vendidos do país.

A Fiat alega que realiza testes confiáveis antes de avalizar o acessório e que o mesmo deve ser posicionado como indica o manual do veículo, para total segurança.

Divulgação
"Ao
Ao enrroscar no acelerador, tapete pode manter automóvel acelerado e provocar acidente; ideal é retirar o acessório

Segundo especialistas ouvidos pela Folha, arriscados mesmo são os tapetes genéricos, que prometem servir a vários carros. Recortá-los para melhor acomodação ao assoalho é aconselhável, até para que não interfiram nos pedais. Se surgem ondulações -aceleradas pela exposição ao sol-, é sinal de que a peça está comprometida.

Para Dino Lameira, pesquisador da Proteste, o mais seguro é eliminar o tapete do lado do motorista.

"Usar jornal, por exemplo, é ainda pior, pois o barulho da folha ao ser movimentada poderia assustar o condutor, além de que sua superfície lisa não dá firmeza aos pés", alerta o engenheiro.

MONTADORAS GARANTEM TER TAPETES SEGUROS

As montadoras afirmam que seus tapetes originais são validados por engenheiros, que testam o acessório sob rigoroso controle de qualidade e segurança.

A Fiat alega que realiza testes confiáveis antes de avalizar o acessório e que o mesmo deve ser posicionado como indica o manual do veículo, para total segurança dos usuários do automóvel.

A Chevrolet diz não ter como comentar a pesquisa da Proteste por desconhecer os critérios e os procedimentos adotados. A Ford afirma que, diferentemente do que aponta o relatório, seus tapetes genuínos atuais têm sistema de trava com pinos de fixação.

Já a Peugeot argumenta que não reconhece 2 dos 3 modelos de tapetes testados e identificados como homologados por ela. A Volkswagen preferiu não comentar os resultados da avaliação.

Fonte: classificados.folha

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.