Tudo começou em Monza

Postado por -

É tempo de férias e a coluna Pelas Pistas aproveita a oportunidade para contar a história de um dos autódromos mais tradicionais do automobilismo mundial. O circuito de Monza, na Itália, é histórico para nós brasileiros, pois Emerson Fittipaldi conquistou nessa pista o primeiro título mundial de Fórmula 1, feito que se repetiu dois anos depois. A pista faz parte do calendário da categoria desde sua primeira edição em 1950. 

A construção do autódromo teve início em janeiro de 1922, idealizado pelo Automóvel Clube de Milão, com a finalidade de comemorar o 25º aniversário da associação. O projeto foi desenvolvido pelo arquiteto Alfredo Rossetti com apoio do presidente do clube Silvio Crespi e do diretor Arturo Mercanti. De acordo com documentos históricos, ela foi construída em 110 dias.

A pista foi inaugurada oficialmente no dia três de setembro de 1922, com a disputa de uma corrida para carros pequenos, vencida por Pedro Bordino, pilotando um modelo Fiat 501. Cinco dias depois foi realizado o Grande Prêmio das Nações de Motociclismo, que terminou com uma vitória incontestável de Amedeo Ruggieri, pilotando uma Harley Davidson 1000. No dia 10 de setembro foi disputado o segundo Grand Prix da Itália, vencido também por  Bordino, a bordo de um Fiat 804, com seis cilindros.

Em 1928 um grave acidente envolvendo o piloto Emilio Materassi matou 27 expectadores inclusive o próprio Emílio. Na ocasião, o circuito tinha uma parte mista e oval que somadas tinham 10000 metros de extensão.

Entre os anos de 1929 e 1933, as corridas eram feitas apenas no trecho oval, porém devido a mais um acidente que vitimou três pilotos, foram colocadas duas chicanes, uma em cada reta para diminuir a média de velocidade dos carros.

A primeira grande reforma de Monza ocorreu em 1938 quando foi mesclada a parte oval com a parte mista, reduzindo o seu traçado para 6300 metros. Com o início da 2ª Guerra Mundial, as corridas ficaram suspensas até 1948, retornando com uma etapa da série "Grand Prix", vencida pelo francês Wimille a bordo de um Alfa Romeo 158.

Em 1970, o piloto austríaco Jochen Rindt morreu após sofrer um grave acidente na curva "Parabólica" durante os treinos para o GP da Itália de Fórmula 1.  Mesmo assim, ele acabou sendo campeão da categoria naquele ano, se tornando o único campeão póstumo da história.

No ano de 1972 foram implantadas duas chicanes antes das curvas "Grande" e "Ascari", mas não surtiram o efeito esperado e foram revisadas em 1974. Em 1976, foi implantada mais uma chicane, antes da "1ª de Lesmo".

Depois disso, durante os anos 1980, várias melhorias de infraestrutura foram realizadas no circuito. A versão atual de Monza tem 5793 metros de extensão.

O Brasil tem 10 vitórias no circuito pela Fórmula 1, além dos dois títulos mundiais de Emerson. Rubens Barrichello e Nelson Piquet conquistaram três vitórias cada uma. O último trunfo brasileiro foi conquistado em 2009 com o Rubinho. Será que voltaremos a vencer em Monza em 2012?

Fonte: Coluna – Pelas Pistas

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.