Vettel relembra 2011, domina no Bahrein e vira líder da F1

Postado por -

De decepção da temporada 2012 da Fórmula 1 Sebastian Vettel passou a líder. Confirmando o "renascimento" da Red Bull, o alemão repetiu uma história vista muitas vezes em 2011 e dominou o Grande Prêmio do Bahrein, neste domingo. Com um belo rendimento, a Lotus ocupou as duas posições seguintes no pódio, com o finlandês Kimi Raikkonen à frente do francês Romain Grosjean.

Foi a 22ª vitória de Vettel em sua carreira na F1. O atual bicampeão mundial havia ganhado 11 vezes em 2011, mas seu último êxito datava de outubro de 2011, na Índia. Nesta temporada, ele vinha com resultados discretos (segundo lugar na Austrália, 11º na Malásia e quinto na China) devido ao desempenho irregular da Red Bull, porém reagiu junto à equipe.

Com o resultado, o alemão pulou da quinta posição para a primeira do campeonato. Ele soma agora 53 pontos, contra 49 de Lewis Hamilton. O inglês largou no segundo lugar, foi superado por Grosjean e era o terceiro quando foi prejudicado pelo primeiro pit stop muito demorado da McLaren, que incluiu um problema na troca do pneu traseiro esquerdo.

Ao final, Hamilton terminou apenas na oitava posição, enquanto que Jenson Button abandonou, completando o domingo ruim da McLaren. Button, assim, caiu para quarto no campeonato com 43 pontos, mesmo número do espanhol Fernando Alonso, dono do sétimo lugar no Bahrein.

O terceiro colocado da classificação agora é o australiano Mark Webber, que terminou uma prova no quarto lugar pela quarta vez em 2012. Ele passou a somar 48 pontos.

Logo atrás de Webber apareceu Nico Rosberg, quinto no circuito do Sakhir com a Mercedes. O sexto lugar foi do escocês Paul di Resta, da Force India, único piloto entre os melhores da prova a ter feito apenas dois pit stops.

Além de Alonso e Hamilton, também pontuaram o brasileiro Felipe Massa, que terminou nono lugar com a Ferrari e figurou entre os dez primeiros de forma inédita na temporada; e o alemão Michael Schumacher, que fez corrida de recuperação após largar em 22º – o piloto da Mercedes foi eliminado no Q1 do treino classificatório e ainda recebeu uma punição de cinco posições no grid devido à troca do câmbio.

A corrida

A largada do GP do Bahrein foi bastante limpa: apenas o finlandês Heikki Kovalainen, da Caterham, teve um furo no pneu e precisou parar imediatamente nos boxes. Enquanto isso, Sebastian Vettel manteve tranquilamente a liderança, enquanto que Lewis Hamilton teve um pouco mais de dificuldades para seguir à frente de Mark Webber, mas conseguiu.

O destaque do início foi Romain Grosjean, que saiu da sétima para a quarta posição e na sexta volta já era o segundo colocado, batendo Webber e Hamilton. O grande rendimento da Lotus era comprovado também por Kimi Raikkonen, que saiu no 11º no grid e na sexta volta ultrapassou Jenson Button para virar o sexto.

Felipe Massa foi outro a ter largado bem, passando de 14º para nono; ele ainda chegou a ultrapassar Raikkonen, mas levou o troco na sequência. Bruno Senna chegou a figurar no décimo lugar no fim da primeira volta, mas rapidamente foi perdendo terreno até abandonar, com problemas na Williams, faltando três voltas para o fim, quando não estava na zona de pontuação. Alonso também teve bom início e logo estava em quinto, à frente de Button.

A corrida começou a mudar na 12ª volta, quando um problema na troca do pneu traseiro esquerdo de Hamilton o fez perder quase 30s nos boxes. Ele caiu várias posições e voltou no 11º lugar, rapidamente ultrapassando Nico Rosberg e Alonso, porém.

Massa vinha a seguir e ultrapassou Hamilton quando este perdeu muito tempo novamente no pit stop seguinte, sempre com um problema na roda traseira esquerda. Na volta à pista, o inglês era o 11º colocado e estava atrás de Massa, que por sua vez aparecia colado em Alonso.

Com pneus macios contra os compostos duros de Alonso, o brasileiro tinha melhor rendimento, mas não chegou a estar em posição de tentar a ultrapassagem. Na 32ª volta ocorreu uma imagem curiosa, com o espanhol se dirigindo à direita na reta dos boxes para pegar o vácuo da Sauber do japonês Kamui Kobayashi, que se encaminhava para fazer o pit stop, e evitar os ataques de Massa.

O brasileiro foi superado por Hamilton nos boxes e assim perdeu contato com o companheiro de equipe. O inglês, por sua vez, também não brilhava a bordo da McLaren e não conseguiu passar Alonso até o fim da corrida. Nesse momento, Massa era o décimo colocado, mas ganhou uma posição faltando apenas duas voltas para o fim, quando um furo no pneu obrigou Button a parar nos boxes.

O campeão mundial de 2009 era até então o sexto colocado, atrás de Rosberg e à frente de Di Resta, este beneficiado pela tática diferente de trocar de pneus apenas duas vezes. Quando retornou à pista, o inglês já havia deixado a zona de pontuação e resolveu abandonar no giro seguinte, reportando à equipe um som estranho no carro.

Na briga pela ponta, Vettel chegou a ser ameaçado por Raikkonen, que estava a cerca de 1s do líder na 33ª volta. O finlandês mostrava um grande desempenho e havia superado Grosjean com tranquilidade, mas não conseguiu repetir a manobra para cima do alemão.

Raikkonen apareceu colado em Vettel na 35ª volta, mas perdeu contato depois da última parada nos boxes – que ambos fizeram juntos, cinco giros após. Mais veloz no último jogo de pneus médios, o alemão logo voltou a abrir mais de 3s. O finlandês ainda levou a diferença para a casa dos 2s, mas não conseguiu voltar a pressionar o bicampeão mundial, que parou o carro imediatamente após cruzar a linha de chegada – ainda não se sabe o motivo.

O alemão não deu a volta da vitória, mas não importa. Ele quebrou um pequeno jejum de vitórias e recolocou a Red Bull na briga pelo título do campeonato – mesmo com um carro que era ao da McLaren, já é o líder da tabela de pontos.

Confira o resultado final do Grande Prêmio do Bahrein:

1º – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) – 1h35min10s990 
2º – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – a 3s300 
3º – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – a 10s100 
4º – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – a 38s700
5º – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 55s400
6º – Paul di Resta (GBR/Force India-Mercedes) – a 57s500 
7º – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 57s800 
8º – Lewis Hamilton (GBR/McLaren-Mercedes) – a 58s900
9º – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 1m04s900 
10º – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 1m11s400 
11º – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 1m12s700
12º – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – a 1m16s500
13º – Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) – a 1m30s300
14º – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1m33s700 
15º – Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) – a uma volta
16º – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault) – a uma volta 
17º – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – a uma volta 
18º – Jenson Button (GBR/McLaren-Mercedes) – a uma volta 
19º – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – a duas voltas 
20º – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – a duas voltas 
21º – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth) – a duas voltas 
22º – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault) – a três voltas

Abandonaram:

Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) – a 31 voltas 
Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) – a 32 voltas

Volta mais rápida:

Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault – 1m36s379

Fonte: Terra

Samoel Weck é jornalista e apresentador de rádio e TV a 30 anos. Diretor e responsável pela Mídia Carros e Marcas, que engloba o Portal Carros e Marcas e o Programa Carros e Marcas TV.