Rally dos Sertões: Varela/Bampi ocupam a vice-liderança na Pro Etanol

A dupla Guilherme Spinelli/Yousseff Haddad (Mitsubishi Lancer) está próxima de vencer pela segunda vez consecutiva o Rally Internacional dos Sertões. Depois de nove dias de prova e quase quatro mil quilômetros completados, eles tem 27min53s de vantagem sobre Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW X3), que venceram a etapa de quinta-feira (18/8), faltando apenas a Especial de 86 km entre Sobral e Caucaia (CE). Em terceiro está Klever Kolberg/Flávio França (Protótipo Protom), com 41min11s de desvantagem, seguidos de Reinaldo Varela/Eduardo Bampi (Blindarte/Restaurante Divino Fogão/Itamotors/Temp Clean), com a novíssima picape brasileira Mitsubishi L200 Triton SR.

"O rally não terminou. Ele só vai acabar amanhã (sexta-feira) na Praia de Cumbuco, perto de Fortaleza. O trecho é curto, dificilmente se ganha a prova no último dia, mas já vi gente perder. Por isto, vamos seguir em frente e lá em Caucaia vemos o resultado", comentou o veterano piloto Reinaldo Varela, campeão mundial de Rally Cross Country em 2001, e que ocupa a vice-liderança na categoria Pro Etanol.

O penúltimo dia do Rally dos Sertões marcou a entrada no último e quinto Estado do roteiro. Saindo de Teresina (PI), os competidores que sobraram enfrentaram mais 505 km até Sobral, no Ceará. Na Especial de 253 km cronometrados o Rally começou a conviver com vários trechos de água, travessia de rios, pedras, erosões e lajes. E foi depois de 130 km que o paulista Reinaldo Varela e o paranaense Eduardo Bampi começaram a ter problemas. Algumas pedras atingiram a coluna de direção que teve os parafusos quebrados.

"Por causa deste problema inusitado, tivemos que andar uns 120 km em baixíssima velocidade para completar a Especial. Demoramos uma hora e meia a mais do que seria normal, mas não desistimos. Amanhã (19/8) vamos fazer o último dia como tem que ser feito, com muita concentração e garra", apontou o curitibano, que na décima etapa quer a sexta vitória na categoria Pro Etanol. A prova passou também por um trecho de mata bem fechada, com piso de pedras e erosões nas laterais da pista.

Fonte: NULL

Você também pode gostar...