SP – Motofretistas devem se adaptar à regras do Contran até agosto

Quem trabalha com motofrete precisa se capacitar. A partir de agosto, quem não seguir uma série de regras do Conselho Nacional de Trânsito poderá ser multado. São normas que regulamentam a profissão. Os pilotos precisam fazer aulas práticas e teóricas e usar uma série de itens de segurança. Segundo o sindicato da categoria, na região de Sorocaba, no interior de São Paulo, são cerca de 15 mil motofretistas. Eduardo Cordeiro é dono de uma empresa de entrega de mercadorias há 8 anos e reconhece que muita coisa acaba ficando esquecida no dia a dia. A capacitação faz parte de uma série de exigências do Conselho Nacional de Trânsito para regulamentar e profissionalizar a categoria. Em aula, os pilotos têm noções de ética, legislação, transporte de cargas e segurança. A conclusão do curso será indicada na carteira de habilitação. Depois da teoria, os alunos vêm para a prática. Na pista, eles treinam equilíbrio e habilidade e fazem manobras que simulam situações de trânsito. Em alguns exercícios, na mesma velocidade que andam nas ruas. O aluno deverá cumprir 30 horas aula, sendo 25 de teoria e 5 horas de prática. Samuel Dourado Oliveira trabalhava de forma informal. Agora está investindo para ter a profissão reconhecida. Além do curso, o Contran determina que o profissional tenha completado 21 anos de idade, possua a carteira de habilitação por pelo menos dois anos na categoria A e utilize o colete de segurança com faixas refletivas. A placa deverá ser a vermelha, registrada no Detran na categoria aluguel. E os baús precisam ser adaptados aos padrões do Inmetro. No estado de São Paulo, o Sest Senat é o órgão credenciado pelo governo para oferecer o curso.

Fonte: http://g1.globo.com

Você também pode gostar...